quinta-feira, 17 de março de 2016

Carimbos!


E estes dias coloquei em prática uma ideia que surgiu há algum tempo; criar meus próprios carimbos. Desde que fiz um curso de gravura, há anos atrás, que a coisa da impressão me pegou. Pensava na época em fazer gravuras animadas, mas o tempo foi passando e me dediquei em outras possibilidades. Tempos depois, conheci a artista Luci Sacoleira, que faz carimbos super bacanas de seus personagens. Então ela me deu a dica; com as cabeças de madeira vazias disponíveis, basta recortar a forma desejada em borracha pra artesnato E.V.A. e colar no carimbo. Pronto!

Mas o tempo passou, e mais uma vez segui por outros caminhos. Aí outro dia desses, por conta de uma questão burocrática de um projeto, tivemos eu e Carol Vieira - amiga muito querida e produtora do projeto - que fazer uns carimbos para efetivamente carimbar nas páginas do dito cujo. E aí encontramos uma casa e gráfica muito simpática aqui no centro de Fortaleza, cujo dono, o Prof.: Marcos, nos recebeu muito bem e logo ficamos amigos. Daí mais um tempo depois, quando me vejo tão empolgado nos cadernos e testando muitas novas possibilidades, resolvi botar em prática a velha ideia das impressões. E aqui estamos. De dois dias pra cá, entre um trabalho e outro, madrugadas adentro, os carimbos tem nascido.

A xilogravura é uma técnica que não abandonei (embora não tenho mais feito nada na linha desde o curso, em 2010), mas os carimbos oferecem uma possibilidade de igualmente imprimir imagens, embora de forma simplificada, mas ainda prática, rápida e imediata.

Recriando padrões urbanos, como esse bloco de concreto de chão.

Alguns dos carimbos que fiz até o momento.
O processo é bem simples mesmo; recortar do E.V.A. pequenas formas, adequadas à cabeça disponível, e em seguida as colo na madeira, com cola de bastão mesmo. Mesmo que saiam com o tempo, tudo bem, posso aproveitar a cabeça pra colar outros padrões depois, reaproveitando a madeira.


Abaixo, algumas imagens das impressões dos carimbos nos meus caderninhos, sobrepondo as formas, variando a tinta nos carimbos e outros experimentos.





Imagem em macro de um dos carimbos.

Imagem também em macro com a impressão do carimbo da foto anterior.
E mesmo um pequeno teste de animação saiu do estúdio esta madrugada, apenas experimentando as texturas de um mesmo carimbo em sequência:

video


E sigamos em frente nesse mundo novo de incríveis possibilidades, vindo de algo tão simples, mas que pode ser - grafica e visualmente - tão poderoso.



2 comentários:

Sheryda Lopes disse...

Que legal! Muito inspirador :) Na casa de carimbos você comprou as cabeças lisas? Quanto foi?

Diego Akel disse...

Brigado Sheryda! Foi R$ 1,00 cada cabeça, independente do tamanho. Depois se quiser te passo o endereço! :-)